You are here

BLUACT: Porque é que a Economia Azul é um crescente mar de oportunidades

17 December 2018

Jim Sims analisa a Economia Azul, um conceito cujo objetivo é promover filosofias e medidas práticas para o crescimento económico associado à economia marinha e marítima.

Questão atual, devido às crescentes preocupações ambientais, a preservação e a economia em torno do mundo marinho está na mente de todos, especialmente da Piraeus Blue Growth Initiative (BGI) que promove a inovação da Economia Azul e o empreendedorismo.

As origens do conceito de Economia Azul remontam a meados dos anos 90, quando o empresário e autor, Gunter Pauli, foi convidado pelas Nações Unidas para pensar em modelos de negócio inovadores para o futuro.

Originalmente concebido com o objetivo de conciliar os objetivos comuns de estimular o empreendedorismo e preservar os ecossistemas marinhos, hoje, o termo “Economia Azul” abrange um vasto leque de potenciais intervenções políticas tais como:

  • Programas de ação para a obtenção de qualquer forma de crescimento económico que esteja associado à economia marinha e marítima;
  • Filosofias económicas mais complexas que se baseiam numa série de conceitos e quadros de “economia circular” para fomentar o crescimento de forma a que preserve, mantenha e melhore o ambiente marinho (e, por conseguinte, proporcione benefícios mais significativos a longo prazo para a sociedade).

Esta último conceito é um modelo em constante evolução, tendo merecido atenção especial recentemente, devido às crescentes preocupações sobre o impacto invasivo dos plásticos de utilização única no ambiente marinho.

Em 2012, a Comissão Europeia estimou que a Economia Azul representava mais 5 milhões de empregos e um valor acrescentado bruto de cerca de €500 mil milhões de euros por ano, - um número que é aproximadamente equivalente a 4% da produção económica total da UE -, afetando igualmente um grande número dos residentes na UE com um número estimado de 40% da população da UE a viver num raio de 50km do mar.

Ao longo da última década, alguns Estados-membros viram a Economia Azul a crescer mais rápido do que as suas economias nacionais. Uma cidade que tem estado na vanguarda da tentativa de estimular novas empresas inovadores no âmbito da Economia Azul é a cidade de Pireu, na Grécia.

Ajudar os Empresários do Crescimento Azul a estarem preparados para o investimento

A iniciativa Piraeus Blue Growth Initiative (BGI) é um empreendedorismo estruturado e uma competição de inovação que se centra na economia marinha e marítima. Foi a primeira competição de inovação a nível da UE para a economia marinha e marítima (Economia Azul) originalmente estabelecida em 2014, tendo sido premiada com o selo Boas Práticas URBACT, no ano passado.

BGI ajuda os empresários nas fases iniciais a desenvolverem e compreenderem os conceitos de negócio inovador e a criar postos de trabalho na Economia Azul. Funcionando como uma competição anual de planos de negócio, a iniciativa é efetivamente um programa de atividades para ajudar aspirantes a empresários do Crescimento Azul a estarem preparados para o investimento – de modo a planear eficazmente as suas ideias de negócios para a fase em que podssam garantir investimento externo.

A Blue Growth Initiative é estruturada em torno de um conjunto de elementos:

  1. Governança: Estabelecimento de uma forte estrutura de governança "Crescimento Azul" que envolva várias instâncias para supervisionar a execução do programa.
  2. Preparação da competição: Elaborar o programa baseado em parcerias e desenvolver o material de marketing;
  3. Entrega da competição: Inclui a produção da ideia do plano de negócios, avaliação da proposta, preparando os candidatos para um dia de demonstração; e organizar o dia de demonstração/cerimónia de entrega dos prémios
  4. Programa de Incubação: Apoiar os empresários bem-sucedidos a expandir os seus negócios; e
  5. Celebração e promoção contínua: elaborar o perfil do exercício para o recriar novamente no ano seguinte.

Transferência da prática para outras cidades em toda a Europa

Tendo sido premiada com o Selo de Boas Práticas URBACT, a Cidade de Pireu foi subsequentemente bem-sucedida na obtenção de financiamento para trabalhar com Burgas na Bulgária, e Matosinhos em Portugal, para explorar o potencial para estabelecer uma Rede de Transferência URBACT e se analisar como melhor transferir o programa para outras sete cidades em toda a Europa.

Este processo terminará em outubro deste ano, quando Pireu apresentar a sua candidatura para a Fase 2 do programa da Rede de Transferências URBACT com as suas sete cidades parceiras.

Caso seja bem-sucedido, este projeto poderia estabelecer um programa Pan-Europeu de Investimento para aspirantes a Empresário do Crescimento Azul e uma rede de cidades interessadas em explorar os seus ativos marinhos e marítimos.

Uma Plataforma Europeia para Investir na Economia Azul

O que torna este projeto URBACT particularmente oportuno é que o Comissário Europeu para o Ambiente, Karmenu Vella, anunciou no Dia do Mar Europeu de 2018, em Burgas, que a DG do Ambiente, Assuntos Marítimos e Pescas está a desenvolver uma plataforma de investimento europeu dedicada exclusivamente à economia azul.

Esta iniciativa assenta sobre o Quadro Financeiro Plurianual para 2021-2027, em que a Comissão propôs:

  • Que o Fundo Europeu dos Assuntos Marítimos e das Pescas focar-se-á em “promover a economia azul nas pescas e aquicultura, turismo, energia do oceano ou na biotecnologia azul, nas comunidades costeiras, ao nível da UE, para fomentar a criação de verdadeiro valor acrescentado na UE, incentivando os governos da UE, indústria e partes interessadas a desenvolver abordagens conjuntas para impulsionar o crescimento, preservando simultaneamente o ambiente marinho”.
  • Que “as sinergias para a economia marítima e azul sejam exploradas, em especial, com o Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional para o investimento nos setores do crescimento azul e para a estratégia da bacia marítima, com o Fundo Social Europeu+ para (re)formar os pescadores na aquisição de competências e o Fundo Agrícola Europeu para o Desenvolvimento Rural para o apoio à aquicultura. A colaboração e as sinergias com a Horizon Europe para a investigação e inovação marinha serão conseguidas, por exemplo, apoiando as pequenas e médias empresas para a distribuição e a replicação comercial de soluções inovadoras para o crescimento azul e apoiando uma plataforma de investimento temático para a investigação e a inovação na economia azul.”; e
  • Que “o Fundo InvestEU desempenhará um papel importante através de instrumentos financeiros para a ação relacionada com o mercado, nomeadamente apoiando uma plataforma de investimento temático para a investigação e inovação na Economia Azul”.

O mesmo documento prossegue explicando que um determinado elemento do Programa InvestEU Assistance será criado pelos parceiros, para prestar apoio consultivo e medidas de acompanhamento para fomentar a criação e desenvolvimento de projetos, ajudando estes projetos a arrancarem e a estarem preparados para o investimento.

No entanto, o InvestEU Assistance terá de chegar ao âmago da comunidade empreendedora do Crescimento Azul em toda a Europa, se quiser ser bem-sucedida a estimular ideias inovadoras para novos negócios que possuam o potencial para acrescentar valor à economia europeia - sendo aí que uma estreita integração com outras iniciativas como a Iniciativa de Crescimento Azul de Pireu pode realmente ajudar.

Como Petros Kokkalis, o Conselheiro para o Crescimento Económico e Empreendedorismo Local no município de Pireu referiu “A Iniciativa de Crescimento Azul de Pireu criou um valor para a cidade e para a Europa, na medida em que criou uma plataforma que reúne diferentes partes do ecossistema de inovação, para apoiar os aspirantes a Empresários do Crescimento Azul”

“Um dos principais desafios para muitos dos negócios em fase inicial que vemos consiste em angariar os fundos de que precisam para desenvolver e aumentar os seus negócios. Saudamos o estabelecimento de uma plataforma de investimento central "Economia Azul", uma vez que irá ajudar a abordar esta área crítica de deficiência do mercado e aguardamos com expectativa trabalhar com a mesma para apoiar os Empresários do Crescimento Azul.”

Um crescente mar de oportunidades?

É realmente um facto pouco conhecido, mas a palavra “oportunidade” deriva de uma expressão marítima latina, “ob portus”, que é composta pelos termos ob, que significa “em direção”, e portus, que significa “porto”. A palavra surgiu porque os marinheiros costumavam ter que esperar pela combinação certa de vento, correntes e maré para navegar com sucesso para o porto, tendo que aproveitar a oportunidade certa.

Hoje, a oportunidade apresentada pela Economia Azul em toda a Europa é significativa e crescente. Apesar da natureza bastante desenvolvida da economia azul, existe margem para aumentar ainda mais a sua produtividade, potencial e contribuição para a economia europeia.

Embora haja um vasto leque de oportunidades para promover este objetivo, a expansão das Boas Práticas de Pireu no domínio da disponibilidade para Investir numa série de outras cidades em toda a Europa e uma Plataforma de Investimento central como aquela que está a ser desenvolvida pela Comissão, ajudarão a estabelecer uma estratégia horizontal coerente para enfrentar um dos principais obstáculos ao crescimento do sector.

Etiqueta de homepage: Economia

Texto da autoria de Jim Sims, apresentado a 25/09/2018