Geolocation
POINT (-8.224454 39.399872)
  • Participe nas info sessions do concurso para ITN

    Share on FacebookShare on TwitterShare on LinkedIn
    01/03/2024
    From urbact
    Off

    Encontra-se a decorrer, desde o dia 12 de janeiro até ao próximo dia 20 de março, o concurso URBACT para constituição de Redes de Transferência de Inovação (Innovation Transfer Networks - ITN).

    Todos os potenciais candidatos com interesse no concurso, e em particular as cidades e outros parceiros que estão a preparar uma candidatura às Redes de Transferência de Inovação, são convidados a participar nas próximas Sessões de Informação online promovidas pelo secretariado URBACT.

    A próxima sessão: Time to submit your application - tech & troubleshooting, sobre o concurso para Redes de Transferência de Inovação terá lugar no dia 7 de março, às 9:00h (hora de Lisboa), e será dedicada ao processo técnico de apresentação de candidaturas.

    E, finalmente, a última sessão: Final troubleshooting, , realiza-se no dia 14 de março, às 9:00h (hora de Lisboa), na qual os interessados poderão ver esclarecidas quaisquer dúvidas que possam ter sobre o processo de submissão, os critérios de elegibilidade ou outro aspeto da candidatura.

    Infosession 14_03

    Os interessados podem ainda conhecer toda a informação sobre o concurso - os Termos de Referência, as cidades potenciais Parceiros Líderes e as ideias de projeto a transferir, bem como as datas das sessões de informação a nível europeu e nacional em urbact.eu/get-involved.

  • Redes URBACT: a procura por um parceiro perfeito

    Share on FacebookShare on TwitterShare on LinkedIn
    19/02/2024

    Como constituir uma parceria forte para uma Rede URBACT.

    Articles
    A group of people crossing the zebra crossing.
    From urbact
    Off

    Ações Urbanas Inovadoras

     

    Desde 2002, as Redes URBACT têm vindo a juntar cidades europeias para trocarem experiências e aprenderem umas com as outras e para desenvolverem e testarem soluções urbanas.

    Olhando para as oportunidades passadas e futuras, somos confrontados com a velha questão: O que é que faz uma parceria forte? Analisámos as Redes URBACT, anteriores e atuais, para identificar pistas para a criação de parcerias URBACT, relacionadas com os requisitos de elegibilidade aplicáveis nos concursos para candidaturas a Redes URBACT.

    A experiência de Redes URBACT

    Em síntese, as Redes URBACT estão abertas a vilas, cidades, áreas metropolitanas, entidades intermunicipais, freguesias e outros organismos públicos equivalentes, tendo frequentemente uma duração de 2,5 anos e envolvendo parceiros de vários países diferentes.

    O concurso do ano passado foi dedicado às Redes de Planeamento de Ação e será lançada uma nova ronda de candidaturas para o mesmo tipo de redes antes do final do programa. O concurso para Redes de Transferência de Inovação está aberto até 20 de março de 2024 e um concurso para Boas Práticas bem sucedidas decorrerá de 15 de abril a 30 de junho de 2024.

    itn

    Há algo de incrivelmente gratificante e motivador em estabelecer ligações com colegas de outras cidades da Europa empenhados em promover a mudança. Se olharmos para alguns exemplos recentes, estão a ser criados planos de mobilidade urbana sustentável na Letónia, Lituânia, Croácia, Polónia, Itália, Espanha e Eslovénia. Comunidades urbanas da Bulgária, Hungria, Eslovénia, Portugal, Espanha, Itália, Irlanda, Países Baixos e Bósnia-Herzegovina estão a restabelecer relações entre as cidades e a natureza. Outras Redes procuraram compreender por que razão as cidades mais pequenas são mais felizes, o acesso ao emprego por parte dos jovens urbanos, etc.

    Obtenha as mais recentes informações sobre estas redes em artigos temáticos produzidos pelos peritos que as lideram!

     

    Transferência de inovação: um novo tipo de parceria

    Ao contrário de outros tipos de Redes URBACT, os Parceiros Líderes das Redes de Transferência de Inovação devem ter estado envolvidos em projetos financiados no âmbito da iniciativa Ações Urbanas Inovadoras (Urban Innovative Actions - UIA) entre 2016 e 2023.

    Ao longo de 24 meses, a cidade com um projeto UIA irá transferir experiência e know-how para outras cidades seguindo três fases: Compreender, Adaptar, Preparar para a reutilização. Um dos principais resultados para cada cidade envolvida será um Plano de Investimento consistente.

    ps

    Informações adicionais sobre este novo concurso (incluindo requisitos de elegibilidade) podem ser encontradas nos Termos de Referência. Também preparámos um artigo sobre ideias de projetos para Rede de Transferência de Inovação identificadas através da Ferramenta de Pesquisa de Parceiros, juntamente com uma gravação da nossa sessão de informação online sobre como constitruir parcerias fortes.

     

    A evolução e a transformação das Redes URBACT

    Muitas cidades trabalharam em conjunto ao longo da evolução das Redes URBACT. Vale a pena fazer um balanço desta evolução, olhando para exemplos de Redes anteriores. Estes sucessos são um testemunho do Método URBACT - a sua capacidade de unir pessoas e comunidades - e da confiança e espírito de equipa desenvolvidos entre os parceiros.

    No domínio da tecnologia e da transição digital, recordamos a Techtown e a TechRevolution, juntamente com um novo projeto, a TechRevolution 2.0. Do mesmo modo, a Rede original de Planeamento de Ação PROCURE transformou-se mais tarde na Rede de Transferência Making Spend Matter. Ambos os casos tinham muitas cidades em comum, incluindo as que atuavam como Parceiros Líder.

    Noutros casos, um tema específico foi utilizado como um fio condutor e como uma ocasião para as cidades evoluírem e procurarem novas direções. Foi o caso da AGRI-URBAN, uma rede em que muitos parceiros avançaram para oportunidades do Horizonte 2020, enquanto outros parceiros desenvolveram uma Rede de Transferência URBACT, a BioCanteens, seguida de mais um novo projeto, a BioCanteens 2. Também vale a pena mencionar que o Parceiro Líder de ambas as redes BioCanteens, Mouans-Sartoux, uma pequena cidade francesa, era originalmente um Parceiro de Projeto da AGRI-URBAN, recém-chegado ao URBACT.

    Algumas cidades continuaram a realizar o projeto Erasmus PART-Y em torno de serviços sensíveis ao género destinados à participação de jovens. Enquanto um parceiro de projeto da Rede de Implementação CREATIVE SPIRITS prosseguiu o seu projeto com financiamento das Ações Urbanas Inovadoras, os parceiros da Rede de Transferência Re-growCity lançaram um novo projeto com a EuroTowns. Mais recentemente, algumas das cidades da Rede de Planeamento de Ação SibDev viram aprovada a sua candidatura a um projeto Interreg Europe.

    No passado, várias redes (ou partes de redes) trabalharam em conjunto em diferentes formas e dimensões, tanto dentro como fora do URBACT. Por exemplo, mais de 30% das cidades URBACT III candidataram-se ao Horizonte 2020 após a conclusão das suas Redes. A Rede original Electric Vehicles in Urban Europe (EVUE) alavancou os resultados num projeto de demonstração de vários milhões de euros.

     

    talk

     

    Antes de iniciar a sua procura de parceiro, atualize-se com as seguintes “dicas” testadas e comprovadas para uma parceria forte e duradoura...

    1. Quanto mais, melhor

     Não existe uma "dimensão perfeita" para uma parceria, mas é preferível escolher mais do que o número mínimo de parceiros. Um parceiro pode desistir no último minuto ou juntar-se a outra proposta, não fornecer a Carta de Compromisso assinada a tempo, etc.  

    Dica URBACT: Uma vez aprovada uma Rede URBACT e iniciadas as atividades, alguns parceiros podem revelar-se menos ativos do que o esperado. Por isso, desenvolver uma parceria com um número mínimo de parceiros é também arriscado se alguns deles se revelarem "parceiros adormecidos".

    2. Confiar nos sinais

    A confiança é um ingrediente fundamental em qualquer parceria. Uma vez identificado um potencial parceiro, é importante considerar, exatamente, o que ele procura numa parceria. Será dinheiro? Desenvolvimento profissional? A oportunidade de melhorar as abordagens participativas e integradas? Uma oportunidade para desenvolver um plano que tenha mais hipóteses de garantir fundos nacionais e da UE?  

    Certifique-se de que os parceiros estão a candidatar-se ao fundo certo pelas razões certas. Tente detetar alguns potenciais sinais de alerta no interesse dos parceiros candidatos, por exemplo, se:

    - Querem tornar-se uma cidade URBACT com o meu tema, independentemente da rede;

    - Querem tornar-se uma cidade URBACT, embora não estejam equipados para lidar efetivamente com o tema e fazer a diferença a nível local,

    - Estão mais interessados no orçamento do que no desafio político;

    - São um político ambicioso sem qualquer compromisso da administração municipal mais alargada (incluindo pessoal autorizado a viajar, etc.);

    - São um funcionário ambicioso sem o apoio de políticos que compreendam a importância do projeto. 

    Outro bom indicador é a capacidade de reação de um potencial parceiro nas fases iniciais. Se tiverem de ser pressionados para fornecerem informações e contributos, talvez isso não seja um bom presságio.

     

    BS

     

    3.    Encontrar um equilíbrio (geográfico)

    Em diferentes Redes URBACT, foram formadas parcerias de sucesso com cidades de diferentes dimensões, de diferentes contextos regionais, em diferentes fases de desenvolvimento. De facto, a aprendizagem mútua não vai numa única direção, de parceiros "bem desenvolvidos" para "menos desenvolvidos". Há sempre ideias interessantes a descobrir, através do intercâmbio entre pares e das visitas aos locais, que promovem a reflexão e o pensamento inovador. O que importa é demonstrar claramente a razão de ser do trabalho nesta formação, que os parceiros têm um interesse partilhado no desafio comum e que o estabeleceram em conjunto antes de apresentarem a candidatura.

    Dependendo do tipo de rede, os requisitos de elegibilidade podem mudar (por isso, verifique sempre os Termos de Referência de cada concurso).

    4.    Verificar as direcções (partilhadas)

    Para além do número e da localização, procurar a coerência e a complementaridade no que diz respeito às necessidades, expectativas e potenciais contributos dos parceiros.

    Não aceite novos parceiros numa base de "quem chega primeiro, primeiro se avia". Reserve algum tempo para falar com as pessoas relevantes de uma cidade candidata a parceiro antes de decidir sobre a lista final de parceiros. Tente evitar cidades que contactam através de consultores - isto pode ser uma indicação de que a cidade não tem verdadeiro interesse e/ou capacidade para se tornar um parceiro empenhado e ativo.

    De acordo com a nossa experiência, um elemento vital de uma parceria produtiva é um interesse e uma necessidade genuinamente partilhados em torno de um determinado desafio, seja ele a mobilidade, a transição digital ou qualquer outro. Cada parceiro também precisa de se comprometer a envolver-se verdadeiramente em todos os elementos do Programa URBACT. Isto significa uma participação plena em todas as reuniões, abertura e honestidade, bem como vontade e entusiasmo para completar as tarefas relacionadas e apoiar os outros.  Significa aprender sobre o Método URBACT, desenvolver a capacidade local e integrar os temas transversais do URBACT - digital, verde e igualdade de género - na elaboração de políticas.

    5.    Respeitar

    Um pouco de respeito pode ser muito importante quando se trata de parcerias - seja respeitando os prazos ou o roteiro proposto pela rede.

    Uma parceria bem-sucedida não toma atalhos. Isto significa refletir sobre o tempo e o esforço que serão necessários ao longo do período de 2,5 anos. Os parceiros da cidade podem afetar o tipo certo de recursos necessários? São capazes de encontrar o nível de financiamento correspondente? Podem atribuir ou contratar o pessoal certo para desempenhar as funções do projeto local? Dispõem de uma equipa financeira capaz de elaborar atempadamente os relatórios e de compreender o controlo de auditoria? Estão preparados para criar e dirigir o grupo local e incentivar as partes interessadas locais a envolverem-se tanto a nível local como transnacional?

    6.    A experiência não é tudo

    Nem todas as cidades na Europa tiveram a oportunidade de participar numa Rede URBACT e experimentar a "jornada de aprendizagem URBACT". Assim, o princípio orientador do URBACT é assegurar a participação de um número máximo de cidades nas Redes URBACT. O URBACT procura particularmente apoiar as cidades que são novas no programa, ou seja, a cidade não foi parceira no URBACT II ou III. É importante considerar todos estes elementos ao selecionar os parceiros sem sacrificar a qualidade e a relevância da proposta de projeto.

    7. Por último, mas não menos importante: tirar partido de ferramentas e recursos URBACT

    Não tem a certeza de onde poderá encontrar candidatos adequados? A resposta fácil está na Ferramenta de Procura de Parceiros URBACT. Para tirar o máximo partido desta ferramenta, é necessário saber o que se procura... e isso depende do concurso. 

    Embora a plataforma possa desencadear muitos intercâmbios e permitir que as pessoas tenham um primeiro contacto com outras, estamos conscientes de que muitas parcerias são feitas offline. Os eventos URBACT - nomeadamente, os EU City Labs e os City Festivals - são uma excelente forma de entrar em contacto com outras cidades e conhecer novos pares. O próximo URBACT City Festival terá lugar de 8 a 10 de abril de 2025 numa cidade polaca, e será a ocasião perfeita para encontrar parceiros para o concurso para Redes de Transferência (que será também lançado em abril de 2025).

    Outra maneira de obter uma visão geral de outras propostas e oportunidades é contactar os Pontos URBACT Nacionais. Estes são basicamente os embaixadores do programa, que representam o URBACT e comunicam regularmente sobre o mesmo utilizando as línguas locais. Para divulgar mais informações sobre o convite, têm estado a organizar Infodays Nacionais, tanto presenciais como online, nos quais as cidades podem participar.

     


     

    Interessado em tornar-se parceiro de projeto numa Rede de Transferência de Inovação? Encontre algumas ligações úteis para os principais documentos (Termos de Referência, Guia de Candidatura, Manual do Programa) e para a infografia do concurso aqui (na secção "Documentos").

    Se quiser saber mais sobre os projetos e os parceiros das futuras Redes de Transferência de Inovação, leia este artigo e assista à nossa sessão de informação online sobre como constituir uma parceria sólida no contexto do concurso para Redes de Transferência de Inovação. Também oferecemos uma série de outros webinars e materiais diferentes. 

    Em todo o caso, o Secretariado URBACT encontra-se disponível para ajudar em itn@urbact.eu. Embora não seja possível fornecer um serviço ativo de matchmaking, existem vários recursos para ajudar ao longo do processo de candidatura.

     

    Traduzido do original submetido pelo URBACT a 31/01/2024

  • Sipping coffee in Sligo: How a commitment to community and attention to detail turned things around for downtown—one cup at a time

    Share on FacebookShare on TwitterShare on LinkedIn
    Members of the Cities@Heart network
    06/12/2023
    07/12/2023


    The year is 2013 and few residents of Sligo, Ireland have heard of a BID, or Business Improvement District. Stakeholders in the local commerce sector operated independently and seldomly in cooperation with the County Council. Fast forward to December 6, 2023 when a group of 26 individuals from ten different countries all over Europe touched down in Sligo to glean best practices for city centre management. Sligo’s remarkable success story provided a fitting backdrop for the first transnational meeting of the Cities@Heart URBACT Action Planning Network.

    Ongoing

    Members of the Cities@Heart network and meeting attendees

    Network
    From urbact
    Off

    Formed in 2023 and piloted by the Greater Paris Metropolis as Lead Partner, the network Cities@Heart brings together 10 different local governments working to create tools for the improvement of city centres. The first network-wide gathering since the URBACT IV launch in 2023, this transnational meeting was a new step in the network journey, an opportunity to exchange and to observe the policies of host partner Sligo County Council and Sligo Business Improvement District. Following 10 different Baseline Study Visits conducted by Lead Expert Mar Santamaria Varas, this meeting also represents the network’s shift from the preparatory to activation phase.

    Network Map

    Meeting in the Land of Heart's Desire

    The first transnational meeting provided project partners the opportunity to obtain feedback on their baseline study visit in the form of the presentation of an overarching methodology to ground the study and set the course for the following two years of inter-european collaboration.

    To kick off the first morning of workshops, participants shared their experiences in the realm of public-private partnership. In Portugal, the budgetary risks taken to build one of the most ambitious road networks in Europe, both per capita and in area, led to some citizens being distrustful of the public-private paradigm. In Krakow (PL), the city approached the Wesoła District’s revitalization with workshops on prototyping solutions for shared spaces to build a sense of community and responsibility for its development among citizens. In Celje (SI), a vacant storefront was left to the use of local stakeholders, providing a successful brick-and-mortar testing ground for new ideas or projects. Back in Sligo, the public-private partnership has proved to be fruitful: the business perspective encourages an objective data-driven approach and the public sector can intervene to implement holistic policy improvements.

    Project partners participating in a morning workshop

    If we can make it in the city centre, we can make it anywhere

    A city centre is a microcosm of social functions and represents the most intricate iteration of urban complexity. While each project partner experiences their city centre in a different way, the network Baseline Study represents the structure of all city centers using a matrix contrasting 7 challenges with 5 indicators.

    From metropolises like Greater Paris (FR) or Krakow (PL)  to smaller cities like Fleurus (BE), for each partner, the diverse challenges may be more or less acute depending on the local context and the means available. Indeed, an imbalance in one of these topics or challenges can greatly aggravate the local context in the city centre, as evinced by the diagrams below.

    Network tool

    To showcase Sligo’s strengths and best practices, the meeting focused on the management of data and local commerce in the city centre. Sligo is a lovely town nestled in a blustery corner of northwest Ireland, minutes from the Atlantic Coast and known for being a literary “land of heart’s desire” with poet W.B. Yeats as a native son. Yet, none of these attributes bring to mind words like “innovation” or “world renowned”. Public policy in Ireland is centralised in Dublin and towns “west of the Shannon” are considered out of the purview of the national stage. In fact, Sligo had historically been “left behind” by urban development schemes deployed elsewhere in the Republic of Ireland.

    Urban solutions with a human approach

    This brings us back to the coffee anecdote… After living and working abroad in the U.S.A. and Australia, Sligo native Gail McGibbon decided to return home. In order to start what would become Ireland’s fourth BID, Gail McGibbon went to work in a seemingly slow way: meeting for a cup of coffee with likely every single business owner in the town, having no other overt objective than sharing a chat. In her seminal work, The Death and LIfe of Great American Cities, Jane Jacobs posits, “there must be eyes upon the street, eyes belonging to those we might call the natural proprietors of the street." While this declaration has taken on a “big brother” connotation since the book’s publication in 1961, the principle rings just as true today. In every city centre, there is a need to be aware of what is happening in the street and with our neighbors or shopkeepers to make sure all are safe and provided for. Indeed, neighborliness proved to be the perfect ingredient to kick-starting the town’s transformation.

    As Chief Executive Officer Martin Lydon explained, in a post-pandemic society, Sligo is leveraging cultural shifts to become a destination for young professionals, students and families seeking proximity to nature and a high level of services. Looking to attract a pool of potential inhabitants keen on finding property in the more affordable western coast of the country, Sligo has invested in a place branding campaign, infrastructure to increase connectivity and the tourism sector, inaugurating their National Surf Centre and a network of cycle paths.

    Turning the local economy around

    Now in 2023, the Sligo BID is healthy and counts 758 members. The BID and Sligo County have worked together tirelessly to introduce innovative measures for data collection, property management, tourism policy and event nightlife. Sligo has developed a Welcome Ambassador Programme, won the Purple Flag Award for night time economy, the label of Coach Friendly Destination and continues to attract international visitors curious about the town’s policies. In the end, Sligo’s shortcomings would eventually become strengths. The lack of urban sprawl meant that the town and county could promote closeness to nature and life at a human scale. The local counter-culture turned out to be a good thing for the health of the town’s high street district.

    Project partners visit the city centre


    The human-ness at the origins of Sligo’s strategy is well reflected in the national Irish Town Centre First strategy which is based at the LGMA and places pragmatism and open dialogue at the forefront. One of the measuring tools of the programme, the Town Centre Health Check Programme, is a public document that serves as an objective evaluation of the town’s progress in implementing best practices. National Coordinator Mairead Hunt presented the country’s policy at the transnational meeting in Sligo and highlighted three core principles: understanding the place, defining the place and enabling the place. The national meeting of Town Regeneration Officers shies away from speeches by elected officials and focuses on peer-to-peer learning.

    Soft approach, hard data

    And yet, Sligo’s strategy didn’t stop at a friendly chat. The county and BID got to work monitoring, measuring and adapting their strategies. Brían Flynn, Town Regeneration Officer, presented the town’s creative use of data in developing their policies. In 2023 the Irish business platform GeoDirectory released data on commercial vacancy in the country. At 25.4%, the rate in Sligo was listed as the highest in the country. In order to curb the negative press and further investigate the truth behind this report which seemed incomplete to local officials, the town decided to collect its own data in the form of a comprehensive land-use policy survey. The study is still being carried out but the town has already gained valuable knowledge on the vacancy profile of downtown property and 16 landowners have discovered the national Croí Conaithe scheme for refurbishment of vacant buildings.

    Brían Flynn presents Sligo’s data policies

    In turn, after witnessing Sligo policies first-hand through a series of site-specific visits and presentations, the network conducted a workshop on the subject of information gathering to address issues all along the chain of data management: identifying data sources, collecting data and data governance. While obtaining data can be simpler than expected, data-driven policy requires vision and advanced planning in order to identify independent sources of information and a successful, manageable tool for translating data into actionable proposals for city improvement.

    Network partners enjoy a performance of traditional Irish music at the Tourism Bureau

    An inaugural meeting for the network and for new URBACT participant Sligo, the event was opened by Cllr. Gerard Mullaney, Cathaoirleach of Sligo County Council and attended by Irish National URBACT Point Karl Murphy and Kristijan Radojčić of the URBACT Secretariat. The meeting was drawn to a close with a hike to glimpse the breathtaking vistas at the summit of the Knocknarea rock formation, providing a bird’s eye view of the Atlantic coast and the Sligo town centre.

    Network partners hike the Knocknarea rock formation

    With one meeting completed and the new year well on its way, the URBACT Cities@Heart network has three transnational meetings planned in Granada (ES), with the Quadrilatero Urbano Association (PT) and in Cesena (IT). Ensuing transnational meetings and those of Urban Local Groups (ULGs) will allow the network to share learnings and experiment small-scale actions over the next year.

    Network members :

    • The Greater Paris Metropolis, France
    • The City of Cesena, Italy
    • The City of Granada, Spain
    • The City of Osijek, Croatia
    • Amfiktyonies, a business development organization representing the City of Lamia, Greece
    • The City of Celje, Slovenia
    • The City of Fleurus, Belgium
    • The City of Sligo, Ireland
    • The Krakow Metropolis Association, Poland
    • The Quadrilátero Urbano Association, Portugal

     

     

  • EU City Lab sobre a Mudança de Hábitos para um Sistema Alimentar Saudável e Sustentável

    Share on FacebookShare on TwitterShare on LinkedIn
    14/02/2024

    J[U]nte-se a nós em Mouans-Sartoux, França, nos dias 21 e 22 de março de 2024, para o #1 EU City Lab sobre Sistemas Alimentares Locais, promovido pelo URBACT e pela Iniciativa Urbana Europeia! Conheça, abaixo, o programa do evento e registe-se agora!


     

    News
    From urbact
    Off

    Registe-se aqui

     

    O #1 EU City Lab sobre Sistemas Alimentares Locais terá lugar em Mouans-Sartoux, França, na quinta-feira 21 e sexta-feira 22 de março de 2024. Trata-se de um evento de partilha de conhecimentos coorganizado pelo URBACT e pela Iniciativa Urbana Europeia (European Urban Iniciative, EUI), com o apoio do município de Mouans-Sartoux.

    Este laboratório, EU City Lab, centrar-se-á na Mudança de Hábitos para um Sistema Alimentar Saudável e Sustentável. Através de debates e partilha de conhecimentos, sessões temáticas, "walkshops" e atividades de grupo, o evento pretende explorar a forma como a mudança dos hábitos alimentares pode alavancar a transição sistémica da sustentabilidade nas cidades europeias.

    O laboratório é uma oportunidade única para:

    - Aprender mais sobre a Boa Prática de Mouans-Sartoux no domínio da alimentação escolar coletiva;

    - Explorar como outras cidades da UE seguiram o exemplo de Mouans-Sartoux através das Redes de Transferência URBACT BioCanteens e BioCanteens#2;

    - Descobrir outras boas práticas implementadas por outras cidades da UE para promover a sustentabilidade dos sistemas alimentares locais;

    - Visitar locais, em Mouans-Sartoux, e trocar impressões com os habitantes locais sobre a sustentabilidade alimentar em toda a cidade, sobre as ações de sensibilização dos cidadãos e sobre as comunidades de aprendizagem;

    - Debater a forma como os projetos locais, que visam hábitos alimentares mais saudáveis e sustentáveis, podem ser postos em prática em diferentes contextos nacionais;

    - Compreender melhor o panorama da UE em matéria de sistemas alimentares.

    O evento de Mouans-Sartoux será o primeiro de uma série de três EU City Labs sobre Sistemas Alimentares Locais, explorando a transição alimentar sistémica nas cidades europeias a partir de diferentes perspetivas temáticas. Os próximos laboratórios serão organizados no decurso de 2024:

    - Contratação Pública para uma Alimentação mais Local, Sazonal e Sustentável - Liège, Bélgica, 29 e 30 de maio de 2024

    - Uso sustentável dos solos para fins agro-alimentares (local e data a revelar em breve).

    Saiba mais aqui sobre os EU City Lab.

    Encontre aqui informação prática para organizar a sua viagem a Mouans-Sartoux e preparar a sua participação.

     

    Programa preliminar (descarregue aqui: Inglês/Francês)

     

    *As refeições durante o programa EU City Lab são oferecidas.

     

    Deseja saber mais sobre o trabalho anterior das cidades URBACT na construção de sistemas alimentares locais sustentáveis? Visite o Centro de Conhecimento URBACT sobre Alimentação e leia os seguintes artigos:

     

    Sobre o percurso da Rede de Transferência BioCanteens e a Boa Prática de Mouans-Sartoux:

    - Jégou, F., A compra de alimentos é um ato agrícola!, 8 de novembro de 2022

    - Jégou, F., BioCanteens#2: cidades comprometidas na democracia e soberania alimentar, 13 de outubro de 2021

    - Copiar os vizinhos. Lições da Rede de Transferência BioCanteens. Publicação final do BioCanteens#1, junho de 2021.

    Sobre o trabalho do URBACT no domínio dos sistemas alimentares locais saudáveis e sustentáveis e o contexto europeu e internacional:

    - Bonneau, M., Cidades que promovem sistemas alimentares locais para combater as alterações climáticas, 10 de novembro de 2021 (atualizado a 21 de dezembro de 2023)

    - Bonneau, M., Vamos falar de alimentação!, 24 de agosto de 2022

    - Bonneau, M., Reforçar os ecossistemas alimentares locais: uma receita para o sucesso?, 9 de outubro de 2020

     

    #1 EU City Lab Sistemas Alimentares Locais - Programa (INGLÊS)

    #1 EU City Lab Sistemas Alimentares Locais  - Programa (FRANCÊS)

    #1 EU City Lab Sistemas Alimentares Locais  - Informações práticas

     

    Traduzido da notícia original, publicada pelo Secretariado URBACT a 13/02/2024

  • O que aconteceu na URBACT Infosession Portugal 2024 para ITN

    Share on FacebookShare on TwitterShare on LinkedIn
    05/02/2024

    No passado dia 31 de janeiro, o Ponto URBACT Nacional, sediado na Direção-Geral do Território, promoveu a URBACT Infosession Portugal 2024. A sessão, dirigida a cidades e vilas, bem como a entidades com papel relevante no desenvolvimento urbano sustentável, teve como objetivo principal divulgar informação sobre o concurso para Redes de Transferência de Inovação (ITN) do URBACT IV.

    Articles
    From urbact
    Off

    A URBACT Infosession Portugal 2024 ocorreu online, durante a tarde do dia 31 de janeiro, com transmissão direta a partir do Estúdio FCCN (Unidade da Fundação para a Ciência e a Tecnologia – FCT). Destinou-se a divulgar o concurso URBACT para Redes de Transferência de Inovação, cujo período para apresentação de propostas para redes de cidades europeias decorre entre 10 de janeiro e 20 de março de 2024. Promovida pela Direção-Geral do Território, através do Ponto URBACT Nacional, esta sessão contou com mais de 130 participantes de todo o país.

     

    O concurso ITN

     

    O concurso para Redes de Transferência de Inovação (Innovation Transfer Networks – ITN), promovido no âmbito do Programa Europeu URBACT IV, tem como principal objetivo permitir a cidades e vilas europeias transferirem e adaptarem, aos seus contextos locais, um projeto inovador concluído no âmbito das Ações Urbanas Inovadoras (Urban Innovative Actions – UIA).

    Ao longo de dois anos, os parceiros de rede trabalharão em conjunto em torno de desafios políticos comuns, partilhando experiências. O Parceiro Líder de rede, que concluiu um projeto no âmbito das UIA, irá continuar a desenvolver este projeto, agora com o apoio do método URBACT e dos contributos de outras cidades, beneficiando de visibilidade e atividades de comunicação a nível nacional e da UE. Os outros parceiros de rede irão adaptar e reutilizar a boa prática do parceiro líder. Para tal, vão desenvolver um Plano de Investimento visando implementar esta prática inovadora adaptada ao contexto local.

    O Secretariado URBACT disponibiliza, na plataforma de procura de parceiros, informação sobre os candidatos a parceiros líder de redes e os respetivos projetos – que abarcam temas tão diversos como a integração de migrantes, a transição digital, a cultura, a natureza em meio urbano ou a economia circular – podendo os interessados entrar em contacto com os candidatos a liderar uma rede.

    Está prevista a seleção de dez ITN, com cinco a sete parceiros cada uma, redes estas que contarão como apoio de peritos URBACT e com um enquadramento seguro para a experimentação. Como tem acontecido em todos os tipos de redes de cidades e vilas do programa, o Grupo Local URBACT, envolvendo as partes interessadas, irá desempenhar um papel central na definição de estratégias locais e na cocriação dos planos.

    Estas redes poderão incluir parceiros dos 27 estados membros, de países do Instrumento de Assistência de Pré-adesão (países IPA) - designadamente a Albânia, a Bósnia-Herzegovina, o Montenegro, a Macedónia do Norte e a Sérvia – bem como da Noruega e da Suíça. Apenas poderá participar um parceiro por país, por rede, e cada parceiro poderá integrar até duas redes.

    O orçamento total previsto para cada rede desenvolver os seus trabalhos poderá chegar aos 550 000 Euros, incluindo cofinanciamento FEDER e cofinanciamento local.

     

    A Infosession

    A URBACT Infosession Portugal 2024 dedicada ao concurso para as ITN organizou-se em quatro partes: a apresentação do Programa URBACT, seguindo-se uma mesa redonda em que representantes de Aveiro e Vila Nova de Gaia partilharam a sua experiência, uma parte dedicada ao concurso ITN, que incluiu a resposta a questões colocadas por escrito pelos participantes, e, finalmente, um último slot, em que foram apresentadas as próximas datas importantes do URBACT e da Iniciativa Urbana Europeia (European Urban Iniciative – EUI).

    AS

    Ana Seixas, Subdiretora-Geral do Território e membro do Comité de Monitorização URBACT, deu as boas-vindas aos participantes e referiu a participação ativa da Direção-Geral do Território (DGT) no URBACT, tanto ao nível da gestão do programa, através do Comité do Monitorização, como no que se refere à comunicação e apoio às cidades e vilas, através do Ponto URBACT Nacional. Incentivou os potenciais parceiros à participação neste concurso, salientando os benefícios, para as entidades urbanas, da participação em redes URBACT.

    CGTomou depois a palavra Clémentine Gravier, Chefe da Unidade de Redes e Capacitação do Secretariado URBACT, que enfatizou o facto de Portugal ter vindo a colocar-se entre os países com mais “cidades URBACT”, graças a uma participação notável em termos de número e diversidade de candidatos e, consequentemente, de parceiros em redes, com algumas cidades a serem participantes frequentes nas redes, incluindo como parceiros líder.

    Seguiu-se uma apresentação sobre o programa URBACT, por Maria João Matos e Maria José Efigénio, que constituem o Ponto URBACT Nacional, sediado na DGT. Abordou-se o programa no geral, falou-se mais especificamente do URBACT em Portugal e, por fim, foram elencadas as principais oportunidades que o programa disponibiliza às entidades e cidadãos com interesse no desenvolvimento urbano sustentável.

    Um dos pontos altos da sessão terá sido a mesa redonda, moderada pelo Ponto URBACT Nacional, que contou com os testemunhos do Vereador João Machado, do Município de Aveiro, e da Arquiteta Carla Pires, da Gaiurb, Município de Vila Nova de Gaia. Os participantes tiveram a oportunidade de assistir a vídeos sobre os dois projetos que foram debatidos: o projeto Aveiro Steam City, implementado no âmbito das UIA, e uma das redes piloto UIA-URBACT Mecanismo de Transferência, a NextAgri, da qual o município de Vila Nova de Gaia foi parceiro, rede esta que transferiu o projeto UIA OpenAgri, coordenado por Milão.

    O projeto Aveiro Steam City constou essencialmente da implementação de uma rede urbana para a atualização de competências STEAM (acrónimo para Ciência, Tecnologia, Engenharia, Artes e cultura, Matemática). Pretendia responder ao desafio de melhorar o valor acrescentado e a riqueza socioeconómica produzida pelos empregos criados, através da transformação digital. Contou com cofinanciamento FEDER de quase cinco milhões de Euros e decorreu entre 2019 e 2022, tendo, como parceiros, várias entidades nas áreas das telecomunicações, da investigação e inovação e do empreendedorismo. Graças ao desenvolvimento deste projeto, o município de Aveiro apresenta-se agora como potencial parceiro líder de uma Rede de Transferência de Inovação.

    Quanto a Vila Nova de Gaia, integrou a rede URBACT NextAgri, que teve início em março de 2021 e durou 18 meses. Esta rede de cidades tinha como objetivos ajudá-las a analisar o contexto local e a conceber ações para os futuros investimentos no sector da agricultura periurbana, plasmadas no Plano de Investimento, elaborado por cada uma das cidades parceiras. O projeto transferido, OpenAgri, testou uma estratégia integrada de inovação nos sectores da cadeia de valor agroalimentar de Milão, para apoiar a criação de novos negócios e o desenvolvimento dos já existentes na área da alimentação sustentável.

    mesa

    Os convidados partilharam as suas experiências e os benefícios trazidos aos respetivos municípios graças à participação nestes projetos inovadores, salientando o seu papel importante nas mudanças económicas e sociais necessárias para um desenvolvimento urbano mais sustentável ao nível local.

    Antes da parte da sessão dedicada especificamente ao concurso para ITN, foi transmitida uma curta reportagem sobre a mais recente Universidade de verão URBACT, que ocorreu em Malmö, na Suécia, em agosto de 2023, e que constitui um dos eventos de capacitação emblemáticos do programa, com acesso exclusivo aos parceiros das redes em curso e respetivos peritos, contando ainda com a participação dos Pontos URBACT Nacionais.

    No tempo dedicado à apresentação do concurso, o Ponto URBACT Nacional caracterizou, resumidamente, as ITN e explicou o funcionamento do processo concursal para candidatura às mesmas. Ainda houve oportunidade para os participantes colocarem questões, através do chat, que foram respondidas, salvaguardando a disponibilidade do Ponto URBACT Nacional para continuar a prestar apoio e outros esclarecimentos.

    datasPara encerrar a sessão, o Ponto URBACT Nacional e Marta Magalhães, do Ponto de Contacto Urbano Nacional da Iniciativa Urbana Europeia (European Urban Iniciative - EUI), apresentaram as próximas datas importantes, tanto do URBACT como da EUI, e destacaram a realização de atividades conjuntas.

    A sessão contou com mais de 130 participantes online, de todo o país, na sua maioria representantes de autoridades urbanas interessadas em saber mais sobre este concurso, incluindo parceiros de anteriores redes URBACT, bem como entidades intermunicipais e municípios que pretendem participar pela primeira vez numa rede. Assistiram ainda à sessão representantes das Comissões de Coordenação e Desenvolvimento Regional, da Agência para o Desenvolvimento e Coesão (AD&C) e da DGT - entidades que integram o Grupo de Ligação URBACT nacional - além de outras partes interessadas em desenvolvimento urbano sustentável.

    O número significativo de participantes, bem como a sua diversidade, demonstram o interesse que este concurso despertou  por todo o país e em diferentes tipos de entidades, prevendo-se uma forte adesão de potenciais parceiros nacionais às redes a concurso.

     

    Mais informação

    Veja ou reveja a informação apresentada na URBACT Infosession 2024 | ITN :

    -        Concurso para Redes de Transferência de Inovação | Infosession Portugal, 31/01/2024 | Gravação

    -        Concurso para Redes de Transferência de Inovação | Infosession Portugal, 31/01/2024 | Apresentação ponto URBACT Portugal

     

    Conheça toda a informação sobre o concurso - os Termos de Referência, as cidades potenciais Parceiros Líderes e as ideias de projeto a transferir, bem como as datas das sessões de informação a nível europeu e nacional em urbact.eu/get-involved

     

  • O URBACT dá as boas-vindas às cidades da Ucrânia e da Moldova

    Share on FacebookShare on TwitterShare on LinkedIn
    19/01/2024

    Na sequência da decisão do Comité de Monitorização do URBACT, e da aprovação da Comissão Europeia*, há mais cidades elegíveis neste programa!

    Stand "Unidos pela Ucrânia" durante o URBACT City Festival 2022 em Pantin, Paris (FR)

     

    From urbact
    Off

    Para além dos 27 Estados-Membros da União Europeia, dos Estados Parceiros (Suíça e Noruega) e dos cinco países que beneficiam do Instrumento de Assistência de Pré-Adesão (Albânia, Bósnia-Herzegovina, Montenegro, Macedónia do Norte e Sérvia), a partir de agora as cidades da Ucrânia e da Moldova também poderão juntar-se ao programa URBACT. Atribuído ao abrigo do Instrumento de Vizinhança, Cooperação para o Desenvolvimento e Cooperação Internacional (Neighborhood, Development and International Cooperation Instrument - NDICI), a versão atualizada do Programa URBACT IV prevê um montante de 2 milhões de euros para a participação de cidades provenientes destes dois países.

    A partir do início de 2024, as cidades da Ucrânia e da Moldova poderão candidatar-se, participar em eventos URBACT e aderir a redes URBACT. Aderir a uma rede URBACT é uma oportunidade única de intercâmbio, partilha de conhecimentos e, finalmente, de melhorar as políticas públicas locais. Os critérios de elegibilidade e o âmbito geográfico de cada concurso URBACT encontram-se detalhados nos respetivos Termos de Referência, que ficam disponíveis no website assim que os concursos para redes são lançados. Adicionalmente, considerando as necessidades específicas das cidades da Ucrânia e da Moldova, o URBACT irá propor um programa específico de atividades de capacitação e conhecimento para as cidades destes dois países.

    A legislação e as políticas da UE têm um impacto importante nas áreas urbanas e um dos principais objetivos da Política de Coesão da UE é apoiar as cidades para que desenvolvam todo o seu potencial. Neste sentido, o URBACT tem como objetivo apoiar as cidades da Ucrânia e da Moldova a assumirem um papel relevante e a contribuírem para o processo de integração na União Europeia.

    Foto 1

    *O Comité de Monitorização do URBACT IV aprovou o alargamento da área geográfica do programa à Ucrânia e à Moldova a 20 de outubro de 2023. A Comissão Europeia aprovou a revisão do programa URBACT IV a 20 de dezembro de 2023 (Decisão da Comissão - 2021TC16FFIR001 - TC - Alteração ao programa 2021-2027 - 2.1)

     

    O programa URBACT IV atualizado pode ser consultado aqui.

     

    Fique atento! Para não perder as novidades, subscreva agora a newsletter URBACT.

    Traduzido do texto em inglês submetido pelo URBACT em 20/12/2023.

  • URBACT Infosession Portugal 2024 | Redes de Transferência de Inovação

    Share on FacebookShare on TwitterShare on LinkedIn
    12/01/2024

    31 janeiro 2024 | 14:30h | online

     

    News
    From urbact
    Off

    No dia 31 de janeiro, a Direção-Geral do Território, através do Ponto URBACT Nacional, promove a URBACT Infosession Portugal 2024 | Redes de Transferência de Inovação, que irá decorrer online.

    Esta sessão será dedicada ao concurso para Redes de Transferência de Inovação (Innovation Transfer Networks - ITN), cujo período para apresentação de propostas para redes de cidades europeias decorre entre os dias 10 de janeiro e 20 de março de 2024.

    O concurso no âmbito do URBACT IV, programa europeu que visa promover o desenvolvimento urbano sustentável, apoia a constituição de redes que têm como objetivo transferir projetos que foram financiados no âmbito das Ações Urbanas Inovadoras (Urban Innovative Actions - UIA).

    São convidadas a participar nesta Infosession todas as partes interessadas, em particular autoridades locais, municípios, entidades intermunicipais ou regionais e entidades com interesse no desenvolvimento urbano sustentável

    A participação é de acesso aberto, mas sujeita a inscrição.

     

    Saiba mais e inscreva-se

  • Candidate-se ao concurso para Redes de Transferência de Inovação de 10 de janeiro a 20 de março de 2024!

    Share on FacebookShare on TwitterShare on LinkedIn
    10/01/2024

    O URBACT lançou o concurso para Redes de Transferência de Inovação a 10 de janeiro de 2024, uma excelente oportunidade para as cidades europeias transferirem e adaptarem, aos seus contextos locais, um projeto inovador concluído no âmbito das Ações Urbanas Inovadoras (Urban Innovative Actions –UIA).

    News
    From urbact
    Off

    Conheça toda a informação sobre o concurso - os Termos de Referência, as cidades potenciais Parceiros Líderes e as ideias de projeto a transferir, bem como as datas das sessões de informação a nível europeu e nacional em urbact.eu/get-involved

    A Infossession Portugal irá ocorrer no dia 31 de janeiro, online. Saiba mais aqui.

    Entretanto, veja a infografia para saber mais sobre as Redes de Transferência de Inovação e as oportunidades que estas oferecem!

     

     

     

     

    Traduzido do texto original, submetido por URBACT a 10/01/2024

     

  • Infosession Portugal 2024 | Redes de Transferência de Inovação

    Esta sessão será dedicada ao concurso para Redes de Transferência de Inovação (Innovation Transfer Networks - ITN), cujo período para apresentação de propostas para redes de cidades europeias decorre entre os dias 10 de janeiro e 20 de março de 2024. Estas redes têm como objetivo transferir projetos que foram financiados no âmbito das Ações Urbanas Inovadoras (Urban Innovative Actions - UIA).

     

    São convidadas a participar nesta sessão informativa todas as partes interessadas, em particular autoridades locais, municípios, entidades intermunicipais ou regionais e entidades com interesse no desenvolvimento urbano sustentável.

     

    A participação é de acesso aberto, mas sujeita a inscrição, até ao dia 30 de janeiro.

     

    Agenda

     

    14:30 | Abertura

    Ana Seixas | Membro do Comité de Monitorização URBACT – Subdiretora-Geral do Território

    Clémentine Gravier | Networks and Capacity Building Head of Unit – URBACT Secretariat

    Maria João Matos e Maria José Efigénio | Ponto URBACT Nacional – Direção-Geral do Território

     

    14:45 | O Programa URBACT IV

    Ponto URBACT Nacional

     

    15:00 | Redes de Transferência de Inovação – Testemunhos

    Mesa redonda com:

    João Machado | Aveiro Tech City – Vereador da C.M. de Aveiro

    Carla Pires | Rede URBACT NextAgri, Vila Nova de Gaia – Gaiurb

    Moderação - Ponto URBACT Nacional

     

    15:40 | Novo concurso para Redes de Transferência de Inovação

    Ponto URBACT Nacional

     

    16:00 | Sessão de perguntas e respostas

    Ponto URBACT Nacional

     

    16:15 | Próximas datas URBACT e EUI

    Maria João Matos | Ponto URBACT Nacional

    Marta Magalhães | Ponto de Contacto Urbano Nacional da Iniciativa Urbana Europeia (EUI)

     

    16:20 | Encerramento

    Portugal

    No dia 31 de janeiro, a Direção-Geral do Território, através do Ponto URBACT Nacional, promove a Infosession Portugal 2024 | Redes de Transferência de Inovação, que irá ocorrer online, com início às 14h30.

    National URBACT Point
    Share on FacebookShare on TwitterShare on LinkedIn
    Off
    Open to a wider public
  • Prepare-se para as Redes de Transferência de Inovação!

    Share on FacebookShare on TwitterShare on LinkedIn
    04/01/2024

    O novo concurso URBACT baseia-se em quase uma década de experiência no apoio à transferência de soluções urbanas bem-sucedidas.

    From urbact
    Off

    Ações Urbanas Inovadoras

    De 10 de janeiro a 20 de março de 2024, decorre o período de candidaturas do para um concurso URBACT  para a próxima geração de Redes de Transferência de Inovação (Innovation Transfer Networks - ITN). Estas redes têm como objetivo transferir projetos que foram financiados no âmbito das Ações Urbanas Inovadoras (Urban Innovative Actions - UIA) para outras cidades da UE, da Albânia, da Bósnia-Herzegovina, do Montenegro, da Macedónia do Norte e da Sérvia.

     

    O que é que as cidades ganham com isto?

     

    Através das ITN compete às cidades que receberam financiamento da UIA de 2016 a 2023, atuar como Parceiros Líderes e transferir a sua experiência, know-how e aconselhamento às cidades interessadas em implementar um projeto semelhante. Utilizando a metodologia de transferência URBACT - Compreender, Adaptar e Reutilizar - os parceiros do projeto desenvolverão uma abordagem mais aprofundada e tridimensional da prática original da UIA. Em última análise, as cidades destas redes melhorarão a sua capacidade de conceber soluções inovadoras de forma integrada e participativa e de identificar financiamento para a implementação.

    Oiça os especialistas Eddy Adams e Matthew Baqueria-Jackson falarem sobre o método Compreender, Adaptar, Reutilizar:

    Ao longo de um período de dois anos, através de um processo organizado de intercâmbio e aprendizagem entre pares, os parceiros do projeto trabalharão em conjunto para desenvolver um plano de investimento adaptado para a implementação do projeto de inovação. Isto será feito com o apoio de peritos URBACT e o envolvimento de um grupo de partes interessadas locais em cada cidade, o Grupo Local URBACT (URBACT Local Group – ULG) que reúne diferentes perfis, de dentro e fora da administração local.

     

    Em suma, as cidades envolvidas neste tipo de redes devem esperar...

    Foto 1

     

    Por à prova a transferência de inovação

     

    Replicar a inovação nunca é fácil, mas entre 2021 e 2022, cinco redes piloto de transferência de inovação foram incumbidas de testar o método de transferência URBACT. Vinte cidades no total estiveram envolvidas nestas cinco redes, cada uma delas liderada por uma cidade que tinha implementado um projeto UIA.

    A avaliação final do projeto piloto provou que o método de transferência URBACT era bem-sucedido, lançando luz sobre alguns pontos importantes a considerar:

    • Desmontar a prática UIA

    Um projeto transferível é aquele que pode ser facilmente transformável em módulos. Os projetos UIA são grandes e complexas intervenções estratégicas concebidas para um território específico. Embora a sua transferência como um todo seja uma situação rara, é útil se for possível dividi-los nas suas partes principais. Na maioria das redes-piloto, os parceiros dispunham de uma lista pré-definida de componentes, o que lhes permitiu selecionar os que funcionariam melhor nos diferentes contextos locais. Uma análise dos recursos e dos obstáculos, elaborada pelo perito da rede, ajudou a orientar estas escolhas.

    Por exemplo, Roterdão (NL) conseguiu adaptar um plano de investimento desenvolvido por Birmingham (UK) através da rede USE-IT!. Roterdão personalizou ferramentas e métodos do plano de investimento de Birmingham para apoiar o desenvolvimento de um centro de compras para cooperativas de trabalho à escala do bairro. O envolvimento na USE-IT! também teve um impacto profundo no trabalho em parceria em Roterdão, com maior relacionamento entre o Município, a Agência Voor Goed, que promove o empreendedorismo social, e o Fundo de Impacto Social de Roterdão.

    No entanto, existem riscos associados à transformação em módulos. Pode ser difícil para os parceiros compreenderem plenamente cada componente e rejeitarem um ou mais módulos, potencialmente impactantes. Para atenuar este problema, a maioria das redes propôs a opção de utilização de módulos, mas incluiu entre eles um que todos os parceiros concordariam em transferir.

    • Remontagem

    Já foi referido o ponto de vista sobre a importância de dividir os grandes projetos de inovação estratégica em partes. Pense nisto como um engenheiro, desmontando uma máquina para compreender melhor como funcionam todas as componentes - desde que se lembre onde fica tudo quando a voltar a montar!

    Esta abordagem também é útil quando os parceiros de transferência não dispõem do financiamento adequado. Podem selecionar as componentes que têm a certeza de poder financiar. O risco a ter em conta, neste caso, é que os parceiros podem selecionar componentes mais fáceis ou mais baratas e potencialmente menos inovadoras.

     

    As etapas no processo da transferência

     

    O método de transferência URBACT é composto por diferentes etapas que preparam o caminho para a transferência. A primeira etapa importante é o estudo de transferibilidade. Este é composto por informações, dados e números em torno do tópico do projeto UIA que são recolhidos após visitas a cada cidade da rede e com discussões com a administração da cidade, eleitos, mas também com outras partes interessadas relevantes fora da administração da cidade. Todos os dados recolhidos e analisados constituem uma base de referência para cada cidade, mas também indicam o potencial de transferência de cada cidade, com pontos fortes e fracos que precisam de ser mais trabalhados. Este estudo de transferibilidade torna-se a referência para o caminho a seguir em termos de atividades de rede e pontos de aprendizagem antes da transferência efetiva.

    Outros marcos incluem atividades de capacitação organizadas pelo Secretariado URBACT, formações com ferramentas ou sessões temáticas e eventos como o URBACT City Festival, que é uma fonte de inspiração para as cidades.

    Finalmente, o principal resultado tangível de cada parceiro do projeto é um plano de investimento que apresenta todos os recursos necessários e os passos a seguir para a implementação da prática UIA (parcial ou na totalidade).

     

    Mostrem-me o dinheiro

     

    A transferência de soluções urbanas inovadoras é muito raramente um processo de copiar e colar. É ainda necessário um certo grau de adaptação e reutilização para uma transformação genuína. A reutilização requer recursos - pessoas, planos e, acima de tudo, financiamento.

    Uma novidade das próximas redes é que as cidades terão também a possibilidade de testar ações com um orçamento reduzido antes de as incluir no plano de investimento.

    No final das cinco redes-piloto, mais de três quartos dos parceiros afirmaram que transfeririam pelo menos 50% do conceito original de inovação UIA. O inquérito revelou também que 15% dos parceiros já tinham assegurado fundos para o efeito, enquanto quase metade estava confiante de que os seus planos de transferência seriam financiados até à conclusão do projeto-piloto.

     

    Onde é que se pode candidatar?

     

    Se este artigo lhe abriu o apetite, então talvez queira saber como é que a sua cidade pode participar.

    Se é uma cidade interessada em tornar-se um parceiro de transferência, pode ligar-se aqui a partir de 10 de janeiro e encontrar a informação necessária sobre como se pode candidatar até 20 de março de 2024.

    E não se esqueça de se inscrever na newsletter URBACT e de nos seguir em @URBACT para ficar atualizado.

    Estamos ansiosos por o receber na comunidade URBACT,

    A equipa URBACT

     

    Um agradecimento especial a Eddy Adams por ter reunido neste artigo os resultados da avaliação das redes-piloto anteriores.

    Traduzido do texto original em inglês submetido pelo URBACT em 08/12/2023