Prepare-se para as Redes de Transferência de Inovação!

O novo concurso URBACT baseia-se em quase uma década de experiência no apoio à transferência de soluções urbanas bem-sucedidas.

Ações Urbanas Inovadoras

De 10 de janeiro a 20 de março de 2024, decorre o período de candidaturas do para um concurso URBACT  para a próxima geração de Redes de Transferência de Inovação (Innovation Transfer Networks - ITN). Estas redes têm como objetivo transferir projetos que foram financiados no âmbito das Ações Urbanas Inovadoras (Urban Innovative Actions - UIA) para outras cidades da UE, da Albânia, da Bósnia-Herzegovina, do Montenegro, da Macedónia do Norte e da Sérvia.

 

O que é que as cidades ganham com isto?

 

Através das ITN compete às cidades que receberam financiamento da UIA de 2016 a 2023, atuar como Parceiros Líderes e transferir a sua experiência, know-how e aconselhamento às cidades interessadas em implementar um projeto semelhante. Utilizando a metodologia de transferência URBACT - Compreender, Adaptar e Reutilizar - os parceiros do projeto desenvolverão uma abordagem mais aprofundada e tridimensional da prática original da UIA. Em última análise, as cidades destas redes melhorarão a sua capacidade de conceber soluções inovadoras de forma integrada e participativa e de identificar financiamento para a implementação.

Oiça os especialistas Eddy Adams e Matthew Baqueria-Jackson falarem sobre o método Compreender, Adaptar, Reutilizar:

Ao longo de um período de dois anos, através de um processo organizado de intercâmbio e aprendizagem entre pares, os parceiros do projeto trabalharão em conjunto para desenvolver um plano de investimento adaptado para a implementação do projeto de inovação. Isto será feito com o apoio de peritos URBACT e o envolvimento de um grupo de partes interessadas locais em cada cidade, o Grupo Local URBACT (URBACT Local Group – ULG) que reúne diferentes perfis, de dentro e fora da administração local.

 

Em suma, as cidades envolvidas neste tipo de redes devem esperar...

Foto 1

 

Por à prova a transferência de inovação

 

Replicar a inovação nunca é fácil, mas entre 2021 e 2022, cinco redes piloto de transferência de inovação foram incumbidas de testar o método de transferência URBACT. Vinte cidades no total estiveram envolvidas nestas cinco redes, cada uma delas liderada por uma cidade que tinha implementado um projeto UIA.

A avaliação final do projeto piloto provou que o método de transferência URBACT era bem-sucedido, lançando luz sobre alguns pontos importantes a considerar:

  • Desmontar a prática UIA

Um projeto transferível é aquele que pode ser facilmente transformável em módulos. Os projetos UIA são grandes e complexas intervenções estratégicas concebidas para um território específico. Embora a sua transferência como um todo seja uma situação rara, é útil se for possível dividi-los nas suas partes principais. Na maioria das redes-piloto, os parceiros dispunham de uma lista pré-definida de componentes, o que lhes permitiu selecionar os que funcionariam melhor nos diferentes contextos locais. Uma análise dos recursos e dos obstáculos, elaborada pelo perito da rede, ajudou a orientar estas escolhas.

Por exemplo, Roterdão (NL) conseguiu adaptar um plano de investimento desenvolvido por Birmingham (UK) através da rede USE-IT!. Roterdão personalizou ferramentas e métodos do plano de investimento de Birmingham para apoiar o desenvolvimento de um centro de compras para cooperativas de trabalho à escala do bairro. O envolvimento na USE-IT! também teve um impacto profundo no trabalho em parceria em Roterdão, com maior relacionamento entre o Município, a Agência Voor Goed, que promove o empreendedorismo social, e o Fundo de Impacto Social de Roterdão.

No entanto, existem riscos associados à transformação em módulos. Pode ser difícil para os parceiros compreenderem plenamente cada componente e rejeitarem um ou mais módulos, potencialmente impactantes. Para atenuar este problema, a maioria das redes propôs a opção de utilização de módulos, mas incluiu entre eles um que todos os parceiros concordariam em transferir.

  • Remontagem

Já foi referido o ponto de vista sobre a importância de dividir os grandes projetos de inovação estratégica em partes. Pense nisto como um engenheiro, desmontando uma máquina para compreender melhor como funcionam todas as componentes - desde que se lembre onde fica tudo quando a voltar a montar!

Esta abordagem também é útil quando os parceiros de transferência não dispõem do financiamento adequado. Podem selecionar as componentes que têm a certeza de poder financiar. O risco a ter em conta, neste caso, é que os parceiros podem selecionar componentes mais fáceis ou mais baratas e potencialmente menos inovadoras.

 

As etapas no processo da transferência

 

O método de transferência URBACT é composto por diferentes etapas que preparam o caminho para a transferência. A primeira etapa importante é o estudo de transferibilidade. Este é composto por informações, dados e números em torno do tópico do projeto UIA que são recolhidos após visitas a cada cidade da rede e com discussões com a administração da cidade, eleitos, mas também com outras partes interessadas relevantes fora da administração da cidade. Todos os dados recolhidos e analisados constituem uma base de referência para cada cidade, mas também indicam o potencial de transferência de cada cidade, com pontos fortes e fracos que precisam de ser mais trabalhados. Este estudo de transferibilidade torna-se a referência para o caminho a seguir em termos de atividades de rede e pontos de aprendizagem antes da transferência efetiva.

Outros marcos incluem atividades de capacitação organizadas pelo Secretariado URBACT, formações com ferramentas ou sessões temáticas e eventos como o URBACT City Festival, que é uma fonte de inspiração para as cidades.

Finalmente, o principal resultado tangível de cada parceiro do projeto é um plano de investimento que apresenta todos os recursos necessários e os passos a seguir para a implementação da prática UIA (parcial ou na totalidade).

 

Mostrem-me o dinheiro

 

A transferência de soluções urbanas inovadoras é muito raramente um processo de copiar e colar. É ainda necessário um certo grau de adaptação e reutilização para uma transformação genuína. A reutilização requer recursos - pessoas, planos e, acima de tudo, financiamento.

Uma novidade das próximas redes é que as cidades terão também a possibilidade de testar ações com um orçamento reduzido antes de as incluir no plano de investimento.

No final das cinco redes-piloto, mais de três quartos dos parceiros afirmaram que transfeririam pelo menos 50% do conceito original de inovação UIA. O inquérito revelou também que 15% dos parceiros já tinham assegurado fundos para o efeito, enquanto quase metade estava confiante de que os seus planos de transferência seriam financiados até à conclusão do projeto-piloto.

 

Onde é que se pode candidatar?

 

Se este artigo lhe abriu o apetite, então talvez queira saber como é que a sua cidade pode participar.

Se é uma cidade interessada em tornar-se um parceiro de transferência, pode ligar-se aqui a partir de 10 de janeiro e encontrar a informação necessária sobre como se pode candidatar até 20 de março de 2024.

E não se esqueça de se inscrever na newsletter URBACT e de nos seguir em @URBACT para ficar atualizado.

Estamos ansiosos por o receber na comunidade URBACT,

A equipa URBACT

 

Um agradecimento especial a Eddy Adams por ter reunido neste artigo os resultados da avaliação das redes-piloto anteriores.

Traduzido do texto original em inglês submetido pelo URBACT em 08/12/2023

Submitted by Maria José Efigénio on 04/01/2024
author image

Maria José Efigénio

See all articles